sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

O que é distimia?



Muito se fala sobre depressão e já é diagnóstico fácil e corriqueiro. No entanto, há diversas formas  clínicas de depressão que são desconhecidas pela grande maioria da população e rotuladas automaticamente como Depressão.
A Distimia é um transtorno afetivo de personalidade. É um modo de sentir e perceber a realidade de uma maneira melancólica e negativa. Não há um comprometimento severo na vida profissional e social do indivíduo, mas o estado depressivo é a tônica dessa forma de ser.
São pessoas continuamente tristes, com baixa energia, melancólicas, baixa auto-estima e pessimistas. Acentuam demasiadamente os aspectos negativos da vida enquanto os positivos passam desapercebidos e sem importância. Geralmente não são considerados e até desvalorizados pela pessoa.
Ela pode ter uma vida familiar estável e saudável, mas nunca é vista como tal. Sempre falta alguma coisa. Nada a satisfaz.
Os aspectos negativos sempre têm seu impacto maior e se sobressaem, de modo que o indivíduo está quase sempre abatido e desanimado, por causa desses aspectos que “nunca dão certo, nunca melhoram” e que tornam a vida triste e sem graça.
Essa visão faz com que ele se sinta pouco ou nada merecedor de aproveitar e usufruir o lado positivo de sua vida.
Esse ângulo de visão interfere de alguma maneira no rendimento da vida social da pessoa, diferentemente da Depressão, que muitas vezes faz com a pessoa nem saia de casa ou até da cama.
A Distimia permite que a pessoa trabalhe, tenha sua parte de lazer, mas sempre com o lado positivo comprometido, pois há a perda da capacidade de sentir totalmente esse prazer. Há também uma tendência ao isolamento, ansiedade e muitas vezes insônia.
Em crianças, a Distimia pode estar associada ao Transtorno de Aprendizagem, acarretando um comprometimento no rendimento escolar. As mulheres têm 3 vezes mais propensão a desenvolver Distimia. Pode ter períodos de melhora e piora, incluindo Depressão grave, caso não seja tratada. O melhor personagem para exemplificar esse quadro, seria o da Hiena: “Oh dia! Oh vida! “
As causas são diversas para seu aparecimento,
e podem aparecer em dois momentos: Início precoce, se ocorreu antes dos 21 anos e Início tardio se ocorreu aos 21 anos mais ou menos.
Sendo um estado crônico, seu tratamento inclui medicação e psicoterapia. É importante que a pessoa procure um psiquiatra para que ele faça um diagnóstico preciso do quadro e inicie a medicação adequada. A terapia  entra como segunda ferramenta nesse tratamento.
Os dois juntos, levam o indivíduo a perceber o lado positivo e a viver esse lado; ou seja o tratamento permite descondicioná-la de sua visão turva e pessimista que sempre teve de vida e de si mesma.

Artigos de psicologia de Marilena Henriques Teixeira netto.

7 comentários:

MÁRCIA MARINHO disse...

Ótimo texto e explicação Lú. Totalmente claro.
Beijos,

Kiki Olivieri disse...

É importante sabermos o que está acontecendo ao nosso redor, mesmo que não seja conosco nem com nenhuma pessoa do nosso circulo familiar ou de amigos, pois, se caso presenciarmos alguma coisa, já sabemos como proceder.

Helena Garcia disse...

OI, amiga querida!

Estou até com vergonha de ti!!! rsrsrsrs

Mas, finalmente suas caixinhas estão prontas! Sou suspeita pra falar, mas acho que ficaram lindas! Eu postei elas lá no blog hoje...passa lá pra ver,tá?

Olha, vou colocaar no correio segunda-feira e depois te falo quanto fica o frete,tá amiga? Não tenho como saber porque como elas são grandes acho que fica mais caro que o simulador de frete faz o preço,tá?
E o valor de cada caixa ficou em 35,00, tá certo? Eu forrei elas inteirinhas com tecido 100 % algodão e coloquei um mimozinho de resina na tampa...tomara que vc goste!!
Um beijão
Helena
http://diaadiacorridinho.blogspot.com

Cristiane Carvalho disse...

Oi Luciana, boa tarde fiquei conhecendo seu blog através da Helena do "dia a dia corridinho" vi as caixas que vc encomendou a ela ficaram lindas mesmo, passa lá no meu blog pra conhecer um pouco das minhas artes rsrs bjs doces e um lindo fim de semana...Cris

Líbina disse...

Que legal psicologa! Vou adorar acompanhar seus posts, amo ler e tenho mt simpatia por sua profissão!
Não conhecia distimia, que problema chato, as vezes a gente pensa que certas coisas fazem parte da natureza da pessoa...
bjs

Uma Futura Magra disse...

Olá, Lu!
Muito interessante aprender mais, quando acabamos generalizando tudo como depressão. Assim até entendemos melhor quem está do nosso lado, podendo até colaborar sendo mais tolerante.
Beijos, querida!

Artes da Li disse...

Que otima explicação...sabia que tinha distimia a muito mas nunca tinha lido algo tao esclarecedor. Obrigada pela ajuda. Bjus.